• Revista PUB

Membros da APRODAB são destaque na festa de encerramento de congresso do IBAP.

A Associação dos Professores de Direito Ambiental do Brasil - APRODAB brilhou por ocasião do 25º Congresso do Instituto Brasileiro de Advocacia Pública, evento realizado de 11 a 13 de agosto de 2021, e que enfatizou uma temática ecocrítica, do interesse das áreas de Direito Ambiental e da Literatua.


O grande destaque no congresso ficou na área literária e editorial.


Homenagem a Alaôr Caffé Alves

Na oportunidade, o professor Guilherme José Purvin de Figueiredo lançou três livros, dois sob sua coordenação e um terceiro de sua autoria.


Um deles é jurídico ("Direito, Filosofia e Meio Ambiente - Diálogos com a doutrina de Alaôr Caffé Alves”, download livre). O livro conta com a participação das associadas e associados Márcia Diegues Leuzinger, Solange Telles da Silva e Ricardo Antônio Lucas Camargo, além de uma parceria histórica entre o atual Coordenador Geral da APRODAB e o saudoso professor Vladimir Garcia Magalhães. Também participam da obra juristas ilustres como Dalmo de Abreu Dallari e Tércio Sampaio Ferraz Junior.

O segundo lançamento, "Isto não é direito", é uma coletânea com os contos vencedores do 2º Concurso Literário da Revista PUB, realizado em 2020). Vale destacar a participação, nesta obra, da associada e professora Mariana Barbosa Cirne, autora do conto "Caso fácil", que participou de referido concurso à época em que ainda não integrava os quadros da APRODAB. Isto demonstra que, além de jurista, Mariana também é uma talentosa escritora.

A obra "Isto não é direito" pode ser adquirida no site da Editora Terra Redonda (clique neste link para adquiri-la).


"Virando o Ipiranga"

Também foi lançado o terceiro livro individual de contos de Guilherme Purvin. Além de ser o autor de obras consagradas como "Curso de Direito Ambiental" (6ª edição), "A Propriedade no Direito Ambiental" (4ª edição) e "Direito Ambiental e a Saúde dos Trabalhadores" (2ª edição), o coordenador-geral da APRODAB é também autor de diversos livros de ficção, dentre os quais "Laboratório de Manipulação" e "Sambas & Polonaises".


Na noite do dia 13 de agosto, Guilherme Purvin lançou seu terceiro livro de contos, "Virando o Ipiranga" (clique aqui para adquiri-lo). Da mesma forma que nos dois livros de contos anteriores, a ilustração da capa é de autoria do próprio escritor.


O autor discorreu sobre seu novo livro de escrita criativa na noite de lançamento virtual do livro (link para o vídeo).


Nas palavras de Sérgio Alli, editor do livro, "São Paulo sempre esteve presente na obra de Guilherme Purvin. Em “Laboratório de Manipulação” (2017), a cidade aparece, por exemplo, na Vila Pompéia de “Tal neto, tal avô”. Em “Sambas & Polonaises” (2019), no bairro do Para-íso de “Por um prato de barszcz”. Em “Virando o Ipiranga”, o bairro onde Purvin viveu muitos anos está representado na colagem da capa de sua autoria. Nela, o sambista Paulo Vanzolini (que foi diretor do Museu de Zoologia do Ipiranga) está à frente do ator lituano Donatas Banionis (Kris Kelvin no filme Solaris, de Andrei Tarkovski), Dom Pedro I rivaliza com Nacional Kid. Jesus Cristo, rodeado de crianças (imagem da fachada do Educandário Cardeal Motta), parece ceder à força da Santa Rita Lee de Sampa. E a banda do Sargento Pimenta é agora composta por Adoniran Barbosa, o contista Alcântara Machado, Oswald de Andrade e o músico Mário Manga (membro do Premê, banda dos anos 1980 e ipiranguense ilustre). Todos eles no gramado dos jardins da Independência. Ao fundo, o Museu de História da USP. À frente, o poluído Riacho do Ipiranga. E, no alto, discos voadores à espera de quem queira ser abduzido para esta nova viagem literária".


Marcelo Gomes Sodré vence 1º Prêmio Narrativas do Antropoceno

E, no encerramento do congresso, após a palestra magistral do escritor amazonense Márcio de Souza, foram anunciados os contistas vencedores do 3º Prêmio Literário da Revista PUB - Diálogos Interdisciplinares, organizado pelo Instituto Brasileiro de Advocacia Pública - IBAP, e que teve como parceiros, além da FFLCH-USP, do SindiproesP e do Sinafresp, também a APRODAB.


A temática escolhida para o concurso foi "aquecimento global; refugiados ambientais; poluição das águas, do ar e do solo nas cidades; contaminação por produtos químicos; destruição das florestas; extinção de espécies; maus tratos contra animais; racismo ambiental; ecofeminismo; relação dos povos originários, comunidades quilombolas, seringueiros, caiçaras e populações tradicionais em geral com o meio ambiente; pandemia e crise ecológica planetária; agrotóxicos e pesticidas; monoculturas; êxodo rural; doenças do trabalho; injustiça sociambiental; poluição luminosa etc."


Dentre os contistas selecionados, num universo de 134 concorrentes, a APRODAB esteve representada pelo professor Ricardo Antônio Lucas Camargo (UFRGS), que participou com o conto "Quirópteros".


Por ocasião do processo de seleção, o presidente da APRODAB e do congresso propôs aos associados da APRODAB convidados a participarem da Comissão Avaliadora (Carlos Frederico Marés de Souza Filho, Fernanda Menna Pinto Peres, José Nuzzi Neto, Luciano J. Alvarenga, Lyssandro Norton Siqueira, Roberta Oliveira Lima e Sheila Cavalcante Pitombeira) que fosse instituído o 1º Prêmio Narrativas do Antropoceno ao conto que obtivesse melhor pontuação por parte exclusivamente dos jurados professores de Direito Ambiental, independentemente dos resultados obtidos pela comissão avaliadora, formada também por associados do IBAP, professores de Letras e editores.


O título do prêmio remete ao podcast e ao novo selo editorial criados por Guilherme Purvin para veicular obras na área da Ecocrítica Literária e do Direito Ambiental (GP-ELIDA). E, a partir da avaliação pelo sistema blind review, chegou-se ao nome de mais um associado da APRODAB - o professor Marcelo Gomes Sodré, que havia inscrito seu conto "Lucy, Luzia e as Estrelas".

Pronunciamento de Marcelo Sodré após o anúncio feito por Guilherme Purvin do vencedor do 1º Prêmio Narrativas do Antropoceno.

Este conto deverá integrar a publicação de estréia do selo "Narrativas do Antropoceno", uma coletânea de contos com temática ecológica que também terá a participação de escritores consagrados nacionalmente na área literária, tais como Maria Valéria Rezende, Manuel Herzog e Roniwalter Jatobá de Almeida. A obra será organizada pelos escritores Guilherme Purvin e Manuel Herzog.


Clique aqui para acessar o vídeo com a premiação de Marcelo Gomes Sodré.


Painel sobre Direito à Informação

José Nuzzi Neto

Mas a participação de associados da APRODAB não se limitou à área editorial.


No primeiro painel da manhã do dia 12 de agosto, sobre "Direito à Informação e à Verdade, Censo e Fake News", a APRODAB esteve presente na pessoa do professor José Nuzzi Neto, diretor de nossa associação e Procurador do Departamento de Águas e Energia Elétrica de São Paulo.

Lucíola Cabral

Logo a seguir, o meio ambiente cultural foi destaque na participação da professora Lucíola Maria de Aquino Cabral (CE), que falou na mesa "Museu Nacional (RJ) / Borba Gato / Fundação Cinemateca: Guerra de narrativas e apagamento da memória nacional". Lucíola é também Procuradora do Município de Fortaleza.


Às 16 horas do mesmo dia, no painel "Rachel de Queiroz em Debate", os convidados foram os professores Carlos Frederico Marés de Souza Filho, Sheila Cavalcante Pitombeira e Ricardo Antônio Lucas Camargo.


Na mesa seguinte, o professor Ibraim Rocha discorreu com outros painelistas sobre o romance "Torto Arado", de Itamar Vieira Junior.


Na manhã do dia 13 de agosto, a APRODAB foi representada pela professora Isabella Franco Guerra, integrante da mesa sobre o tema "Direitos Humanos e Saúde Pública".


O painel sobre "Desmatamento e Ecocídio" contou com a participação dos professores de Direito Ambiental Fernanda Menna Pinto Peres, Fernando Walcacer e Márcia Dieguez Leuzinger.


E, no painel "Lygia Fagundes Telles em debate", a professora Sandra Cureau foi uma das participantes.

74 visualizações0 comentário